80x120_002.jpg
80x120_003.jpg
80x120_001.jpg

José Moura

A 3ª visão. Fotografar de trás da máscara que nós temos três figuras humanas. A primeira figura que aparece na sociedade, família, no dia-a-dia. A outra figura representa o que a pessoa pensa que é e a terceira figura que não sabe o que é. Três figuras que sendo o mesmo ser, são três seres.

Este trabalho fotográfico realizado em forma de tríptico representa o 3º olho, a mesma pessoa com expressões diferentes que cada uma representa um olho. O olho que mostra quem eu sou para os outros, o olho que mostra aquilo que os outros acham quem sou e o olho que mostra quem eu sou na realidade.

80x120_006_1_low.jpg
80x120_004_1_low.jpg

Igílcia Andrade

Uma pessoa cega também pode fotografar.

Ana Paula Guedes

Esta imagem tem como objectivo mostrar como eu vejo o mundo. As pessoas pensam que eu não tenho nenhuma deficiência. Tenho visão periférica, não vejo à volta, vejo como se vê através de uns binóculos.

120x80_004.jpg

Duarte Pina

Sempre me fascinaram as tertúlias. Depois de ser cego experimentei tirar algumas fotografias, tive experiências em teatro. A minha relação com as artes é todos os dias. A literatura está no meu dia-a-dia, vivo rodeado de livros.

Foto poema que simboliza as tertúlias da época surrealista. Através do Poema de Mário Cesariny  Pastelaria, foi encenada uma cena da época, onde o autor lê o poema num ambiente de uma pastelaria.

imagem-9.png
imagem-6.png

No projecto IMAGO, o Movimento de Expressão Fotográfica deu autonomia a cada autor para trabalhar os vários sentidos em simultâneo e que sejam, para si, de maior relevância. O tema a ser trabalhado foi a auto representação. O projecto passou por diversas fases, partindo de uma base descritiva do projecto escolhido por cada autor, onde foram criadas condições cénicas e de produção para a captação de imagens, à sua interpretação. 

Maria Paula Viegas
Maria Paula Viegas

O princípio de vida não foi feliz, tive uma infância infeliz, tive muito pouco e tive de dividir. Eu nunca me vou esquecer do passado, brinquei na rua, fui feliz, mas não tinha comida para comer todos os dias. Eu fui criada com um pai alcoólico. A minha mãe era uma mulher de trabalho Lembro-me de estar a dormir e acordar, porque a minha mãe estava a apanhar pancada. A minha mãe resolvia os problemas a bater. Ela foi muito massacrada, ela estava tão cas

press to zoom
Júlia Silvestre
Júlia Silvestre

Trabalhei no mundo da aviação. A sua viagem começa à porta do avião. A postura que tiver à porta, conta muito para o seu conforto na viagem. Daí a importância de usar o salto alto, para dar uma postura de segurança. Quando ceguei não conseguia usar salto alto, agora aprendi a usar salto alto com a minha bengala e voltei a sentir- me novamente mulher.

press to zoom
Maria de Fátima Silva
Maria de Fátima Silva

Gosto de movimento, de pessoas à minha volta. Gosto de estar no meio da multidão, fazer parte dela.

press to zoom
Maria Paula Viegas
Maria Paula Viegas

O princípio de vida não foi feliz, tive uma infância infeliz, tive muito pouco e tive de dividir. Eu nunca me vou esquecer do passado, brinquei na rua, fui feliz, mas não tinha comida para comer todos os dias. Eu fui criada com um pai alcoólico. A minha mãe era uma mulher de trabalho Lembro-me de estar a dormir e acordar, porque a minha mãe estava a apanhar pancada. A minha mãe resolvia os problemas a bater. Ela foi muito massacrada, ela estava tão cas

press to zoom
1/12